O PEQUENO PRÍNCIPE - #PELAIINDICA



E aí, gente. Tudo belezinha?

Pra quem me segue lá no Instagram sabe que do que vamos falar nesse post, certo? Agora, se não me segue, acho que está perdendo tempo, hein?! Clica aqui e segue a gente lá!

Pra você entender o que aconteceu, deixa eu te explicar rapidão. No final de semana, perguntei no Stories quem já tinha assistido ao filme O Pequeno Príncipe que foi lançado em 2015 e, pra minha surpresa, muita gente não viu! Com isso, quero trazer aqui o que eu acho sobre esse filme. Vem comigo?

esse aviador é um amor! 

Quero começar com a frase mais lembrada da obra: “O essencial é invisível aos olhos”. Ela que é usada até hoje para ressaltar a importância dos sentimentos e do caráter no dia a dia e, como não poderia deixar de ser, tem importância crucial na animação. Afinal de contas, a proposta maior deste novo trabalho do diretor Mark Osborne (Kung Fu Panda) não é propriamente reproduzir o livro escrito por Saint-Exupéry, mas sim captar sua essência. E sério, estou apaixonado.

De fato, a narrativa composta por pequenas parábolas pode receber diferentes interpretações com o passar dos anos. A relação do príncipe com sua rosa, por exemplo, pode ser de amizade na infância, ou representar as dificuldades de um relacionamento amoroso na vida adulta (tenso né?). Natureza complexa essa que nasce da simplicidade com que Saint-Exupéry apresenta a jornada do seu aviador/narrador e do menino do asteroide B 612.

 A nova adaptação de O Pequeno Príncipe, segue um caminho diferente, vamos dizer assim. Coloca uma história dentro da história e isso é o mais maravilhoso em minha opinião. A relação de uma garotinha (que foi dublada maravilhosamente pela Larissa Manoela) controlada pela mãe com um excêntrico aviador serve para mostrar a magia transformadora da criação de Saint-Exupéry.

O longa faz crítica sobre uma sociedade sem imaginação, preocupada apenas com números e resultados. Nele percebemos que os adultos (me incluo nessa) estão deixando a “criança interior” morrer. E isso é tão ruim.

o aviador lembra o meu avô.


Outro ponto importante é o visual do filme. Cara, é impecável, com sua mistura de estilos de animação -  computação gráfica para “o mundo real” e stop motion para a “fantasia” - dando profundidade às diferentes camadas da história. Sério, eu sou apaixonado.

Por fim, quero deixar aqui meu pedido para você: Vá e assista O Pequeno Príncipe. É uma história atemporal e que TODO MUNDO deve assistir.  

E aí, você já viu? Abaixo vou deixar o trailer, fechou?



Grande abraço e follow me!
@Lucaspelai

Fotos: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários